http://igeologico.sp.gov.br

30/01/19 17:13

Workshop sobre “Coprodução na Gestão de Riscos de Escorregamentos em Assentamentos Precários” é realizado em São Paulo

No dia 29 de janeiro de 2019, o Instituto Geológico (IG), o Instituto de Pesquisa Tecnológica (IPT), a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP) e a Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental (ABGE) realizaram o Workshop “Coprodução na Gestão de Riscos de Escorregamentos em Assentamentos Precários” no Auditório Prof. Francisco Landi no Prédio da Administração da Escola Politécnica da USP.

A cerimônia de abertura contou com a presença da Cap. PM. Aline Betânia, Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (CEPDEC); Cláudia Echevenguá Teixeira, diretora do Centro de Tecnologias Geoambientais do IPT; Luciana Martin Rodrigues Ferreira, diretora do IG; Marcela Teixeira, representante da ABGE e Profa. Liedi Bernucci, diretora da Poli/USP.

Com o objetivo de apresentar e discutir o desenvolvimento da pesquisa “Coprodução de estratégias de gestão de riscos de escorregamentos por meio do desenvolvimento de infraestruturas de base comunitárias nas cidades latino-americanas”, as apresentações do primeiro bloco abordaram a metodologia e aplicação do projeto, o Prof. Harry Smith, coordenador do projeto da Heriot-Watt University apresentou o processo metodológico do projeto, em seguida a profa. Mônica Escalante, da Universidad Nacional de Colômbia, demostrou a aplicação do projeto em comunidades de Medellín focando os objetivos do projeto, que são: a percepção, o monitoramento, a mitigação e a concertação. O prof. Alex Kenya Abiko da Poli/USP mostrou a aplicação do projeto na comunidade Vila Nova Esperança e fechando o bloco, a líder comunitária Maria de Lourdes Andrade de Souza, mais conhecida como “Lia Esperança” falou da experiência dela e da comunidade em participar do projeto, e os desafios enfrentados para atingir a sustentabilidade.

No segundo bloco, as apresentações abordaram o papel da pesquisa científica, a situação e percepção de risco na esfera federal, estadual e municipal e propostas de urbanização em comunidades carentes. O Prof. Fernando Marinho da Poli/USP destacou a importância da pesquisa acadêmica e a divulgação dos resultados com a participação nas comunidades. Eduardo de Macedo do IPT abordou a legislação e a estrutura da Defesa Civil Federal e o papel dos órgãos de apoio, Eduardo de Andrade do IG explicou como funciona a gestão de risco no estado de São Paulo e o funcionamento da Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e de Redução de Riscos Geológicos (PDN). O Geólogo Ronaldo Malheiros, da Prefeitura de São Paulo apresentou o histórico da atuação em prevenção na cidade, e o arquiteto Renato Daud, da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) demostrou o projeto de urbanização de favelas e usou o exemplo do Jardim Santo André, em Santo André e da Vila Nova União, zona leste de São Paulo.

Este projeto de pesquisa é financiado pela British Academy dentro do seu programa GCRF, Global Challenges Research Fund: Cities & Infrastructure. Participam do projeto equipes da Heriot-Watt University, University of Edinburgh, Universidad Nacional de Colômbia, Escuela de Barrios de Ladera e da Poli/USP. Na equipe de pesquisa brasileira também fazem parte pesquisadores do IG e do IPT.

A realização do Workshop é um dos resultados do projeto e faz parte da concertação (acordo) que tem como objetivo realizar o diálogo contínuo, preparar os moradores para entenderem e conviverem melhor com os riscos, aproveitando a oportunidade para aproximar diferentes atores nos trabalhos com as comunidades.