http://igeologico.sp.gov.br

23/01/19 16:22

O IG participa do “Exercício Simulado de Abandono Emergencial de Área de Risco no Município de São Luiz do Paraitinga – Distrito de Catuçaba”

No último final de semana a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (CEPDEC) promoveu um exercício para simular um evento geodinâmico no Distrito de Catuçaba, na Estância Turística de São Luiz do Paraitinga. A reunião preparatória ocorreu na sexta feira (18) na Biblioteca Municipal Nelson Ferreira Pinto envolvendo órgãos do poder público estadual como a Defesa Civil, o Instituto Geológico (IG), o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), Policia Militar, Corpo de Bombeiros, Trânsito, Patrulha e Grupamento Aéreo Águia, Secretaria da Saúde, SABESP, Elektro, Policiais Municipais, Cruz Vermelha, e grupos da sociedade civil como rádios comunitárias e especialistas em rafting. Um esquema muito grande coordenado pelo Secretário-Chefe da Casa Militar e Coordenador da Defesa Civil do Estado Cel. PM Walter Nyakas Júnior e da Prefeita Municipal Ana Lucia e seus auxiliares e secretário municipais.

Nesta reunião, os detalhes finais do simulado foram acertados com as ultimas orientações. A população do Distrito de Catuçaba foi orientada e preparada para participar do simulado afim de responder de forma coordenada a uma possível ocorrência como a que aconteceu no local no início do ano de 2018. Depois deste evento, a prefeitura se encarregou de preparar a população local, distribuindo pluviômetros, réguas de medidas de inundação, referencial de abrigos, locais onde estes devam ficar, entre outras atitudes.

O objetivo destes exercícios é capacitar a população local para reagir a um evento que pode se repetir e integrar os órgãos federais, estaduais e municipais que auxiliam nestes eventos, servindo de referencial para um futuro plano de contingência para abandono emergencial da comunidade.

No sábado (19) o exercício foi feito com a participação de todos os envolvidos, com demonstração de como ocorre um salvamento de uma vítima de escorregamento, e procura por vitima que foi arrastada pela correnteza; os profissionais de saúde fazendo o deslocamento da população, inclusive daqueles com mobilidade reduzida e treinando a população para desocupação da residência o mais rápido possível, levando uma muda de roupa, documentos e remédios controlados. E principalmente, não esquecer seu animal de estimação, orientação que foi passada pela Subsecretaria Estadual de Defesa dos Animais, que também participou do simulado. No abrigo, dinâmica de acolhimento, prestação de possíveis socorro, distribuição de roupas e alimentação a população afetada foi executado como em uma verdadeira ocorrência.

A participação do IG foi demonstrar como ocorre uma vistoria do local e conforme a ocorrência, a possibilidade de a população voltar ou não para a área afetada ou se haverá a necessidade do poder publico interditar a área afetada.

Este exercício deve verificar se tudo que está determinado pelo plano preventivo da Defesa Civil Municipal abrange todas as possíveis ocorrências; o tempo que leva para a evacuação do bairro; o tempo de socorro aos envolvidos e estabelecer protocolos para uma ocorrência real evitando perda de vidas da comunidade local.