http://igeologico.sp.gov.br

01/01/14 00:00

Mapeamento de riscos associados a escorregamentos, inundações e corridas de massa do Município de Itaoca, SP

Título Projeto: Mapeamento de riscos associados a escorregamentos, inundações e corridas de massa do Município de Itaoca, SP.

Coordenador: Maria José Brollo (Instituto Geológico/SMA)

Programa: Geotecnia e Meio Ambiente

Equipe: Antonio Carlos Moretti Guedes, Cláudio José Ferreira, Denise Rossini Penteado, Eduardo de Andrade, Francisneide Soares Ribeiro, Jair Santoro, Lídia Keiko Tominaga, Maria José Brollo, Paulo César Fernandes da Silva, Rogério Rodrigues Ribeiro.

Período: 01/08/2014 a 31/03/2015

Descrição:  A demanda pelo “Mapeamento de riscos associados a escorregamentos, inundações e corridas de massa do Município de Itaoca, SP” surgiu devido ao desastre ocorrido em Itaoca em janeiro de 2014, relacionado a corridas de massa, enxurradas e inundações, com mortes e perdas econômicas, e que levou a uma situação de calamidade pública.

Objetivos: O objetivo geral deste estudo consiste em fornecer subsídios ao município de Itaoca (SP) para o planejamento territorial e para a gestão de riscos de natureza geológica, subsidiando o enfrentamento de situações de risco, auxiliando no monitoramento de áreas de risco, planejamento municipal e territorial, planos habitacionais, entre outros.

Os objetivos específicos incluem: a) avaliação e mapeamento de perigos de escorregamentos, inundações e corridas de massa, vulnerabilidade e riscos em escala regional (1:50.000); b) avaliação e mapeamento de riscos em escala local (1:3.000); c) implementação dos resultados no sistema computacional SGI-RISCOS-IG, em ambiente Web (Internet), com acesso via login e senha para os gestores públicos locais.

Resultados:

O mapeamento de riscos em escala de detalhe (1:3000) tem como resultado 41 setores de risco, distribuídos em 6 áreas, onde se encontram 216 moradias em risco frente a processos de inundação e enxurrada, além de 4 grandes equipamentos (2 igrejas, 1 escola ETE-SABESP), estabelecimentos comerciais, galpões e depósitos. A distribuição por gravidade de risco implica em: 17 setores (41,5%) na classe de risco muito alto, afetando 96 moradias, 1 grande equipamento (igreja) e  estabelecimentos comerciais; 4 setores (9,8%) na classe de risco alto, afetando 12 moradias; 11 setores (26,8%) na classe de risco médio, afetando 52 moradias, 1 grande equipamento (escola), estabelecimentos comerciais + galpões anexos; galpões e depósitos; 9 setores (21,9%) na classe de risco baixo, afetando 56 moradias, 2 grandes equipamentos (ETE-SABESP; 1 igreja).

Os Mapas de Perigos de escorregamento, de inundação e de corridas de massa em escala regional (1:50.000) localizam no município as áreas com maior probabilidade de ocorrência destes processos. Quanto ao processo de escorregamentos planares as classes de perigo, Muito Alta e Alta, somadas, representam 86% do total de área. O perigo de inundação abrange uma área de 5,3% do território municipal, dos quais 1,7% são das classes Muito Alta e Alta. O processo de corrida de massa é uma ameaça constante frente a eventos chuvosos de grande magnitude e intensidade, sendo que as classes de perigo de corrida de massa Muito Alta e Alta, somadas, representam 3,5% do total de área municipal.

O Mapa de Vulnerabilidade em escala regional (1:50.000) constitui outro aspecto fundamental para avaliação e prevenção de risco. As áreas classificadas como de muito alta e alta vulnerabilidade envolvem aproximadamente 60% da área urbana do tipo residencial/comercial/serviços e correspondem às áreas mais precárias e ou deficientes quanto a infraestrutura e mais suscetíveis quanto as características socioeconômicas.

Os Mapas de riscos de escorregamento, de inundação e de corridas de detritos em escala regional (1:50.000) apresentam a localização e distribuição das áreas de risco no município. O risco de escorregamento nas áreas do tipo residencial/comercial/serviços perfaz 0,2% de risco alto, 21,3% de risco médio e 38% de risco baixo, devido ao fato de que as ocupações urbanas se distribuem em áreas pouco íngremes de perigo predominantemente baixo. O risco de inundação ocorre em 40,5% das áreas urbanas dos tipos residencial/comercial/serviços, distribuídas nas classes de risco baixa (21,7%), média (10,6%), alta (5,2%) e muito alta (3%). O risco de corridas de massa perfaz 10,2% das áreas do tipo residencial/comercial/serviços de Itaoca, sendo que o risco alto abrange 0,7% em área e os riscos médio e baixo abrangem, somados, cerca de 9,5% das áreas residenciais/comerciais/serviços associados aos vales dos rios Gurutuba, Santo Antonio, Guarda-Mão, Claro, Gramado, Boavas, Henriques, Laje, Caçadinha e Caraças e em diversas sub-bacias afluentes do rio Palmital.

 

Fonte de Financiamento: CEDEC – Coordenadoria Estadual de Defesa Civil

 

Trabalhos publicados:

INSTITUTO GEOLÓGICO (IG-SMA). 2015. Mapeamento de riscos associados a escorregamentos, inundações e corridas de massa – Município de Itaoca, SP. São Paulo: Instituto Geológico, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Relatório Técnico, 2015. 3 volumes. Boletim do Instituto Geológico nº 64. ISSN 0100-431X. Disponível em http://www.sidec.sp.gov.br/producao/map_risco/pesqpdf3.php?id=417

BROLLO, M.J.; SANTORO, J.; ROSSINI PENTEADO, D.; FERNANDES DA SILVA, P.C.; RIBEIRO, R.R. 2015. Itaoca (SP) : histórico de acidentes e desastres relacionados a perigos geológicos. In: SBG, Simpósio de Geologia do Sudeste, 14, Campos do Jordão-SP, 26 a 29 de outubro de 2015, Anais…, CD-ROM. Disponível em: http://bit.ly/2zT55QZ

FERREIRA, C.J.; ROSSINI-PENTEADO, D.; BROLLO, M.J.; PICANÇO, J.L.; SILVA, M.C.; GUIMARÃES, B.M. (2016). Debris flow hazard and susceptibility zonation in small watersheds in Itaoca municipality, São Paulo state, Brazil. In: Landslides and Engineered Slopes. Experience, Theory and Practice. Aversa, S; Cascini, L.; Picarelli, L.; Scavia, C. (Eds), CRC Press, 2016, Associazione Geotecnica Italiana, Rome, Italy. P. 893-900. Disponível em: http://bit.ly/2eYl9sd