http://igeologico.sp.gov.br

16/02/06 00:00

Mapeamento das áreas de risco a escorregamentos e inundações nos municípios de São Sebastião, Ubatuba, Piedade, Tapiraí e Franco da Rocha.

Título: Mapeamento das áreas de risco a escorregamentos e inundações nos municípios de São Sebastião, Ubatuba, Piedade, Tapiraí e Franco da Rocha.

Coordenador: Daniela Gírio Marchiori Faria (Instituto Geológico/SMA)

Programa: Geotecnia e Meio Ambiente

Equipe: Antonio Carlos Moretti Guedes, Cláudio José Ferreira, Daniela Gírio Marchiori Faria, Denise Rossini Penteado, Gustavo Armani, Jair Santoro, Lídia Keiko Tominaga, Márcia Maria Nogueira Pressinotti, Maria José Brollo, Ricardo Vedovello, Rodolfo Moreda Mendes

Período: 8/16/2005 – 2/16/2006 (concluído)

Descrição: O mapeamento de áreas de risco a escorregamentos e inundações é um dos instrumentos adequados e eficazes para a elaboração de políticas urbanas de prevenção de riscos.
Consiste em análises qualitativas de superfície, identificando os processos relacionados aos movimentos de massa e inundações/enchentes nas áreas de risco, a vulnerabilidade das ocupações e a probabilidade de ocorrência dos eventos. É realizado um zoneamento (setorização), classificando o risco em Baixo, Médio, Alto e Muito Alto. Posteriormente são indicadas as medidas mitigadoras do risco através de medidas estruturais (obras) e não estruturais (planos preventivos, remoções definitivas ou temporárias).
Desde 2004 o Instituto Geológico vem elaborando o mapeamento de áreas de risco de municípios do Estado de São Paulo, para subsidiar ações, articuladas pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC), na identificação e análise dos riscos associados a escorregamentos e inundações, com vistas à minimização e prevenção de acidentes e de danos aos moradores dessas áreas críticas.
Na 2ª campanha de mapeamento, efetuada no período 2005-2006, o Instituto Geológico identificou as áreas de risco de cinco municípios, localizados no Litoral do Estado (São Sebastião, Ubatuba), na Região de Sorocaba (Piedade, Tapiraí) e na Região Metropolitana de São Paulo (Franco da Rocha). Esses mapeamentos vêm sendo utilizados, pelos municípios, nas ações de gerenciamento e monitoramento previstos nos Planos Preventivos de Defesa Civil (PPDC).

Fonte de Financiamento: CEDEC – Coordenadoria Estadual de Defesa Civil

Trabalhos publicados: Obs: nem todas as referências listadas encontram-se no acervo da Biblioteca do IG, consulte os autores para localizar uma cópia do trabalho

RIBEIRO RR; AMARAL R; GALINA MH; ROSSINI-PENTEADO D. 2007. O município na gestão dos desastres naturais: breve discussão de aspectos legais e técnicos. Santos, SP. In: 2º SIBRADEN – Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais e Tecnológicos, Santos, SP, 9 a 13 de dezembro de 2007. Anais…, CD-ROM