http://igeologico.sp.gov.br

25/06/09 00:00

Estudos Históricos de Eventos Climáticos Extremos na Baixada Santista – SP

Título: Estudos Históricos de Eventos Climáticos Extremos na Baixada Santista – SP

Coordenador: Mirian Ramos Gutjahr (Instituto Geológico/SMA)

Programa: Climatologia e Meio Ambiente

Equipe: Maria de Lourdes F. Gomes, Maria Helena Silva de Jesus, Rosangela Pereira de Carvalho e Marinês Pereira dos Santos

Período: 6/25/2009 – (em andamento)

Descrição: Para o entendimento da realidade climática de cada espaço, é importante que se compreenda a inter-relação dos diversos componentes do clima ao longo do tempo, sua intensidade, periodicidade, variabilidade e extremos, bem como sua inter-relação com as características topográficas. Para tanto se torna de grande importância a obtenção de dados climáticos. Entretanto, nem sempre isso é possível, seja pela inexistência de postos de observação, seja pela curta série de dados disponível. A região da Baixada Santista, local de grandes preocupações ambientais, tanto para o poder público e industrial quanto para a população que ali vive, é um exemplo de carência de conhecimento climático pretérito. Não é possível afirmar que os fatos climáticos atuais, em termos de quantidade, intensidade, freqüência, sejam os mesmos que ocorriam no passado ou se estão em um processo de intensificação ou redução, fato esse que interessa aos estudos climatológicos em si e a estudos de mudanças climáticas em última instância. Uma alternativa para essa questão é o levantamento de dados proxi ou dados indiretos. Esses dados encontram-se disponíveis em jornais, coleções fotográficas e publicações diversas, em arquivos públicos e privados e através deles, pode-se inferir sobre o nível de gravidade da ocorrência de eventos climáticos intensos. Esses dados indiretos podem indicar o que ocorreu após tempestades, ventanias, precipitação intensa e contínua, entre outros, tais como escorregamentos, desmoronamentos, corridas de lama, queda de blocos de rocha, inundações, alagamentos, etc. O conhecimento desses eventos, visto a destruição da infra-estrutura urbana, prejuízos materiais, grande número de desabrigados, doenças e mortes que provocam, são de enorme importância no gerenciamento ambiental. O objetivo da pesquisa é oferecer um conhecimento quantitativo, qualitativo e temporal de eventos climáticos agressivos e extremos da Baixada Santista, de modo a subsidiar os trabalhos de atendimento à população da Baixada Santista, desenvolvidos anualmente pelo PPDC – Plano Preventivo de Defesa Civil, do qual o Instituto Geológico é parte integrante. Como objetivo secundário propõe-se realizar um estudo comparativo dos dados de parâmetros climáticos existentes para a cidade de Santos nos Boletins Meteorológicos editados pela Comissão Geográfica e Geológica e pelo Instituto Geográfico e Geológico, na busca de períodos, nos quais eventos extremos possam ter ocorrido.

Fonte de Financiamento: CEDEC – Coordenadoria Estadual de Defesa Civil

Trabalhos publicados: Obs: nem todas as referências listadas encontram-se no acervo da Biblioteca do IG, consulte os autores para localizar uma cópia do trabalho

GUTJAHR, M. R.; GOMES, M. L. F.; JESUS, M. H. S.; CARVALHO, R. P.; SANTOS, M P.; RABELLO, J. F. D. 2010 Estudos históricos de eventos climáticos extremos na Baixada Santista – SP Brasil. In: VI SLAGF, VI Seminário Latino-Americano e II Seminário Ibero-Americano de Geografia Física. Universidade de Coimbra, 26-30 mai. 2010, Coimbra, PT. Disponível em http://www.uc.pt/fluc/cegot/VISLAGF/actas/ind4/

GUTJAHR, M. R.; GOMES, M. L. F.; JESUS, M. H. S.; CARVALHO, R. P.; SANTOS, M P.; SANCHES, G. S. S.; SILVA, S. R. M. 2010 Avaliação entre a ocupação do espaço e desastres naturais a partir da ocorrência de eventos climáticos na Baixada Santista/SP. In: SBCG, Simpósio Brasileiro de Climatologia Geográfica, 9, Fortaleza, Anais, 1. 1-10.