http://igeologico.sp.gov.br

Projetos

  • 01/12/93

    Morfogênese quaternária e intemperismo: micromorfologia e mineralogia de formações superficiais do planalto do Itatiaia, RJ.

    O projeto teve como objetivo estudar as variações da alteração e sua distribuição espacial e temporal no planalto do Itatiaia. Análises granulométricas e mineralógicas, dosagem e datação da matéria orgânica e micromorfologia da rocha alterada e colúvios permitiram caracterizar tipo e grau de alteração das formações superficiais, diferenciar processos de coluviação e inferir variações nas condições ambientais do planalto. Os resultados da pesquisa contribuem para o conhecimento das formações superficiais do planalto do Itatiaia e, de modo geral, para a compreensão da evolução da paisagem das cimeiras do sudeste do Brasil.

    Leia mais

  • 12/01/93

    Subsídios do meio físico-geológico ao planejamento no município de Campinas

    O projeto visou subsidiar o planejamento municipal e a elaboração do plano diretor do município de Campinas através do diagnóstico do meio físico. Nele são apresentadas as fragilidades e potencialidades do meio e feitas recomendações para uma melhor ocupação do solo e da gestão ambiental. O estudo integrado caracterizou e classificou áreas em função de sua adequabilidade à ocupação urbana, industrial e agrícola com base em processos morfodinâmicos, tipos de rochas e relevo, erodibilidade e vulnerabilidade natural dos aquíferos. As potencialidades naturais (recursos minerais não-metálicos e água subterrânea) foram avaliadas, assim como áreas de risco, ravinas e voçorocas e áreas sujeitas à inundação. A análise e diagnóstico destes parâmetros apontaram critérios para a preservação e contenção de impactos do meio físico no município.

    Leia mais

  • 01/01/92

    Estrutura superficial da paisagem e palinologia do Quaternário: os sedimentos turfosos da várzea do Ribeirão da Flores, Itatiaia-RJ.

    Pesquisa feita num dos sítios de ocorrência de sedimentos turfosos no planalto do Itatiaia, com a finalidade de obter dados geomorfológicos e palinológicos essenciais para a reconstituição paleoclimática, paleoecológica e paleogeográfica das cimeiras do Brasil de Sudeste. O projeto inclui reconhecimento e compartimentação geomorfológica do planalto e levantamento das formações superficiais, com análises sedimentológicas, datação dos depósitos de vertente e várzea, e palinologia dos sedimentos turfosos do vale do Ribeirão das Flores.

    Leia mais

  • 01/12/91

    O Complexo Embu no leste do Estado de São Paulo: contribuição ao conhecimento da litoestratigrafia e da evolução estrutural e metamórfica

    Projeto de capacitação - Dissertação de Mestrado. A área estudada localiza-se na região leste do Estado de São Paulo, a sudeste da Bacia de Taubaté, e é constituída por rochas pré-cambrianas de um modo geral pertencentes ao Complexo Embu da Faixa de Dobramentos Apiaí. A descrição das rochas deste complexo como migmatitos, nos trabalhos anteriores, obscurecia a natureza dos seus tipos litológicos originais. Devido a este motivo a pesquisa objetivou a descrição da constituição litológica do Complexo Embu enfocando os processos que lhes deram origem. Dentre os resultados obtidos ressalta-se a identificação de três unidades de metassupracrustais, inseridas no Complexo Embu, e núcleos de embasamento compostos por gnaisses ortoderivados de provável idade arqueana a proterozóica inferior. Isto foi possível devido a uma análise das composições mineralógicas, de análise da deformação dúctil e do metamorfismo que acompanhou cada fase deformacional. Foi possível apresentar, entre outros, os seguintes resultados: subdivisão do Complexo Embu em três unidades de rochas metassupracrustais; definição e descrição de uma unidade de rochas ortognássicas, arqueana ou eoproterozóica, que constituem o embasamento do Complexo Embu; discussão da localização e natureza do limite meridional dos complexos Embu e Costeiro; identificação e descrição de cinco fases de deformação dúctil que afetam o Complexo bem como do metamorfismo que as acompanhou. O estudo foi regional (mapa em escala 1:250.000 e perfis 1:50.000) e pode servir para embasar estudos mais detalhados. Dissertação de Mestrado orientada pelo Prof. Dr. Mário Figueiredo, do IG/USP.

    Leia mais

  • Subsídios do meio físico-geológico ao planejamento territorial do município de Itu (SP)

    Para se tornar de fato um trabalho voltado a subsidiar o planejamento municipal, esse projeto foi desenvolvido com a participação e apoio da Prefeitura Municipal da Estância Turística de Itu, destacando nessa participação a Secretaria Municipal de Planejamento e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto do Município. Este estudo, integrando com informações de diferentes áreas do conhecimento geológico e geográfico, permite ao usuário, sobretudo o poder municipal, visualizar o meio físico de forma mais lógica e passível de ordenação. No referido projeto foi possível estabelecer áreas semelhantes quanto às sua potencialidades e fragilidades, considerando como potencialidade, por exemplo, a vocação do terreno a determinado tipo de ocupação pelo homem, em relação aos aspectos geotécnicos (ou para obras de engenharia), hidrogeológicos e de recursos minerais, e como fragilidade, os atributos que impedem ou limitam seu uso potencial. Os resultados do projeto estão disponíveis na forma de relatório técnico-científico em dois volumes. O primeiro, intitulado Relatório Executivo , contém os resultados gerados pela integração das informações dos cinco temas estudados (geologia, geomorfologia, geotecnia, hidrogeologia e de recursos minerais). O segundo volume é composto pelos relatórios específicos de cada tema. Anexos aos referidos volumes, incluem-se os seguintes produtos cartográficos em escala 1:50.000, referindo-se a todo o território do município: Mapas Geológicos, Mapa Geomorfológico, Mapa de Potencialidade Mineral, Mapa Hidrogeológico, Mapa de Vulnerabilidade das Águas Subterrâneas à Poluição, Mapa de Unidades Homogêneas, Mapa de Uso e Ocupação predominante do Solo do Município, além do Mapa de Áreas Degradadas, em escala 1:10.000, e os seguintes cadastros: Inventário de poços tubulares profundos do Município (264 poços até o ano de 1990); Tabela de elementos geotécnicos dos tipos de relevo; Inventário de praças de lavra e empresas de mineração.

    Leia mais

  • Relação entre o embasamento cristalino e os sedimentos basais do Subgrupo Itararé na região de Sorocaba-Salto de Pirapora, SP

    Projeto de capacitação - Dissertação de Mestrado. O projeto teve como proposta de trabalho a realização de mapeamento litoestratigráfico, analisando os corpos sedimentares quanto à sua gênese mas sem se preocupar com a definição de unidades litoestratigráficas formais. Neste sentido foram identificados quatro conjuntos faciológicos caracterizados pelo predomínio de um litossoma específico. Os dados foram provenientes de seções geológicas e de perfis de poços existentes. O estudo da paleotopografia do embasamento permitiu a identificação de elevações e depressões do Subgrupo Itararé, além de terem permitido uma nova interpretação quanto a posição estratigráfica dos conjuntos faciológicos presentes na área. Dissertação de Mestrado orientada pelo Prof. Dr. Setembrino Petri, do IG/USP.

    Leia mais

  • 01/01/91

    Fenômenos erosivos acelerados na região de São Pedro – SP. Estudo da fenomenologia com ênfase geotécnica.

    Projeto de capacitação - Dissertação de mestrado desenvolvida na área de Geociências e Meio Ambiente pelo Instituto de Geociências e Ciências Exatas - UNESP/Rio Claro. Foi estudada uma boçoroca localizada no município de São Pedro - SP, situado na região centro-leste do Estado de São Paulo. Através da caracterização geotécnica dos sedimentos onde ocorre, analisaram-se os fatores influentes no processo erosivo e estabeleceu-se a contribuição de feições e características observadas, tanto no campo como em laboratório, que interferem na gênese e evolução das erosões aceleradas. Os sedimentos analisados apresentam homogeneidade granulométrica, baixos valores de parâmetros de resistência ao cisalhamento e valores relativamente elevados dos índices de vazios. Os valores de permeabilidade (K 20º) estão em torno de 4,27 x 10-3 cm/s e os da porosidade, 42%. Quanto aos limites de consistência, as amostras caracterizam-se como não plásticas. Orientação: Prof. Dr. Vicente José Fúlfaro (IGCE - UNESP).

    Leia mais

  • Levantamento e avaliação preliminar dos fenômenos de erosão acelerada no médio vale do Paraíba entre Caçapava e Taubaté.

    O principal objetivo do projeto foi detectar e localizar a ocorrência de fenômenos de erosão acelerada no Médio Vale do Paraíba, com mapeamento simples e esquemático das áreas críticas (escala 1:25.000). Trabalhos de fotointerpretação e de campo foram feitos de forma integrada, em todas as fases da pesquisa. O levantamento permitiu estimar a importância atual da erosão acelerada, detectar as áreas críticas e as áreas sujeitas à erosão incipiente e obter uma primeira aproximação das relações dos fenômenos erosivos com os fatos físicos e/ou com a intensidade da ocupação humana. A execução do projeto propiciou ainda o desenvolvimento de uma metodologia geomorfológica para levantamento e cartografação da erosão acelerada, adaptada às condições tradicionais de escassez de dados e recursos financeiros.

    Leia mais

  • 01/12/90

    Subsídios do meio físico-geológico ao planejamento territorial do município de Sorocaba (SP)

    Atendendo demandas externas à Instituição e uma revisão estratégica de atuação, foi criado o Programa Cartas Geológicas e Geotécnicas para o Planejamento Ambiental como subsidio ao processo de industrialização do interior, no eixo entre Sorocaba e Campinas. Os objetivos foram: a) auxiliar no planejamento do meio físico municipal e na Lei Orgânica b) otimizar esforços, recursos humanos e financeiros através de ações interdisciplinares.A otimização em termos de integração entre as equipes técnicas permitiu avançar no conhecimento técnico na busca do entendimento global do sistema analisado. Do ponto de vista aplicado, os produtos gerados serviram de subsídio à elaboração de normas específicas destinadas ao aproveitamento das águas subterrâneas e à superação dos conflitos associados ao aproveitamento dos bens minerais. Sob outro angulo, o projeto serviu como balizador de procedimentos metodológicos, que passaram por contínuo processo evolutivo nos projetos subseqüentes.

    Leia mais

  • Relações estratigráficas e dinâmica deposicional das sequências Betari e Furnas-Lajeado (Grupo Açungui), na região de Apiaí e Iporanga

    Projeto de capacitação - Dissertação de Mestrado. A região de estudo localiza-se no Vale do Ribeira, sul do Estado de São Paulo em região de afloramento do Grupo Açungui, pertencente à Faixa de Dobramentos Apiaí. Os ambientes de sedimentação das seqüências Betari e Furnas-Lajeado foram analisados através da interpretação dos processos sedimentares, análise de fácies, análise seqüencial e reconhecimento da estratigrafia através de conceitos genéticos e temporais. Também foi realizada uma análise estrutural para complementar os argumentos de natureza estratigráfica, assim como recuperar a posição dos estratos sedimentares. Neste projeto foi possível definir: a posição estratigráfica relativa das sequências Betari e Furnas-Lajeado e a sua espessura total aproximada; os ambientes e sistemas deposicionais representados pelas sequências; correlação destas com outras mapeadas também na porção sul do Estado e a influência de tectônica de cavalgamento sobre a geometria atual dos corpos. Dissertação de Mestrado orientada pelo Prof. Dr. Gilberto Amaral, do IG/USP.

    Leia mais