http://igeologico.sp.gov.br

Projetos

  • 01/01/14

    FERREIRA, C.J.; ROSSINI-PENTEADO, D. GUEDES, A.C.M. O uso de sistemas de informações geográficas na análise e mapeamento de risco a eventos geodinâmicos. In: LOMBARDO, M.A. & FREITAS, M.I.C (org.): Riscos e Vulnerabilidades: Teoria e prática no contexto Luso-Brasileiro. Cultura Acadêmica-Editora UNESP, São Paulo, 155-188, 2013.

    Referência: FERREIRA, C.J.; ROSSINI-PENTEADO, D. GUEDES, A.C.M. O uso de sistemas de informações geográficas na análise e mapeamento de risco a eventos geodinâmicos. In: LOMBARDO, M.A. & FREITAS, M.I.C (org.): Riscos e Vulnerabilidades: Teoria e prática no contexto Luso-Brasileiro. Cultura Acadêmica-Editora UNESP, São Paulo, 155-188, 2013. Tipo: Capítulo de Livro Palavras Chave: geotecnologias; desastres; paisagem; escorregamento; […]

    Leia mais

  • 30/10/13

    Aplicação de Geotecnologias na Orientação do Uso da Terra com Base nos Impactos das Mudanças Climáticas Globais: Sub-bacias Hidrográficas Litorâneas do Estado de SP e do Estado do RJ (FAPESP-FAPERJ)

    Título: Aplicação de Geotecnologias na Orientação do Uso da Terra com Base nos Impactos das Mudanças Climáticas Globais: Sub-bacias Hidrográficas Litorâneas do Estado de SP e do Estado do RJ (FAPESP-FAPERJ). Coordenador(es): Gilberto Pessanha Ribeiro – RJ; Celia Regina de Gouveia Souza – SP Equipe: Período: à 30/10/2013 Descrição: O projeto consiste na aplicação de geotecnologias na avaliação e orientação […]

    Leia mais

  • 02/09/13

    Mapeamento de Áreas de Risco de Escorregamentos, Inundações e Erosão do Município de Campos do Jordão (SP)

    Título Projeto: Mapeamento de Áreas de Risco de Escorregamentos, Inundações e Erosão do Município de Campos do Jordão (SP) Coordenador: Eduardo de Andrade (Instituto Geológico/SMA) Programa: Geotecnia e Meio Ambiente Equipe: Antonio Carlos Moretti Guedes, Cláudio José Ferreira, Daniela Gírio Marchiori Faria, Denise Rossini Penteado, Eduardo de Andrade, Eduardo Schmid Braga, Francisco de Assis Negri, Francisneide Soares Ribeiro, Jair […]

    Leia mais

  • 01/05/13

    Estudo de campos experimentais de monitoramento de variáveis climáticas e geotécnicas para implantação de sistemas de alerta para escorregamentos no Estado de São Paulo

    Título Projeto: Estudo de campos experimentais de monitoramento de variáveis climáticas e geotécnicas para implantação de sistemas de alerta para escorregamentos no Estado de São Paulo. Coordenador: Rodolfo Moreda Mendes Programa: Geotecnia e Meio Ambiente Equipe: Rodolfo Moreda Mendes (Coordenador), Jair Santoro, Daniela G. M. Faria Período: até maio de 2014 Descrição: O estudo pretende […]

    Leia mais

  • 01/01/13

    GROLA, D. A. O Comércio de espécimes na formação das coleções de História Natural do Museu Paulista, 1894-1916

    Referência: GROLA, D. A. O Comércio de espécimes na formação das coleções de História Natural do Museu Paulista, 1894-1916. In: SBHC, Seminário Nacional de História da Ciência e da Tecnologia, 13, São Paulo, Anais: 1-16. Tipo: Resumo Completo Palavras Chave: O Comércio de espécimes na formação das coleções de História Natural do Museu Paulista Projeto: – Restrição: […]

    Leia mais

  • 30/10/12

    Mapeamento das áreas de risco a escorregamentos, inundações, erosão e colapso de solos dos município de Aparecida, Caçapava, Guaratinguetá, Pindamonhangaba, Redenção da Serra, Roseira, Taubaté, Tremembé e São José do Rio Preto

    O mapeamento de áreas de risco a escorregamentos, inundações, erosão e colapso de solos é um dos instrumentos adequados e eficazes para a elaboração de políticas urbanas de prevenção de riscos. Consiste em análises qualitativas e qualitativas de superfície, identificando os processos relacionados aos movimentos de massa e inundações/enchentes nas áreas de risco, a vulnerabilidade das ocupações e a probabilidade de ocorrência dos eventos. É realizado um zoneamento (setorização), classificando o risco em Baixo, Médio, Alto e Muito Alto. Posteriormente são indicadas as medidas mitigadoras do risco através de medidas estruturais (obras) e não estruturais (planos preventivos, remoções definitivas ou temporárias). Desde 2004 o Instituto Geológico vem elaborando o mapeamento de áreas de risco de municípios do Estado de São Paulo, para subsidiar ações, articuladas pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC), na identificação e análise dos riscos associados a escorregamentos e inundações, com vistas à minimização e prevenção de acidentes e de danos aos moradores dessas áreas críticas. Na 5ª campanha de mapeamento, efetuada no período de 2010 a 2011, o Instituto Geológico identificou as áreas de risco de nove municípios, localizados no Litoral do Estado (Mongaguá, Itanhaém, Peruíbe), na Região de São José do Rio Preto (São José do Rio Preto e Mirassol) e na Região do Vale do Paraíba (Caçapava, Taubaté, Pindamonhangaba, Redenção da Serra, Aparecida, Tremembé, Roseira). Esses mapeamentos vêm sendo utilizados, pelos municípios, nas ações de gerenciamento e monitoramento previstos nos Planos Preventivos de Defesa Civil (PPDC).

    Leia mais

  • 01/03/12

    Levantamentos e estudos para a caracterização dos terrenos cársticos e a proteção de cavernas do PETAR

    Título: Levantamentos e estudos para a caracterização dos terrenos cársticos e a proteção de cavernas do PETAR Coordenador: José Antonio Ferrari Equipe: Silvio T. Hiruma, Marcio D. Felix Período:  1/3/2012 – 1/3/2015 Descrição: A integridade de qualquer sistema cárstico depende da interação entre solo, relevo, vegetação e água; qualquer interferência nesta relação pode causar impactos indesejáveis e […]

    Leia mais

  • 01/12/11

    Sistema Gerenciador de Informações sobre Riscos Geológicos no Estado de São Paulo (SGI-RISCO-IG)

    O SISTEMA GERENCIADOR DE INFORMAÇÕES SOBRE RISCOS NO ESTADO DE SÃO PAULO (SGI-RISCO-IG), conterá o conjunto de dados do Instituto Geológico no Estado de São Paulo referente a mapeamentos de áreas de risco e atendimentos emergenciais das Operações Verão (Planos Preventivos de Defesa Civil). Os serviços e aplicações deverão estar publicados para acesso pela Internet por meio de navegadores WEB de mercado. Este sistema tem por objetivo subsidiar a gestão e tomada de decisões a respeito de desastres naturais e riscos geológico. Constituirá uma poderosa ferramenta de gerenciamento de risco por meio de órgãos estratégicos, como o Instituto Geológico e parceiros (Gabinete do Governo do Estado, Coordenadoria Estadual de Defesa Civil da Casa Militar, Coordenadoria de Planejamento Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente, Secretaria da Habitação, Prefeituras Municipais, Coordenadorias Municipais de Defesa Civil, entre outras).

    Leia mais

  • 01/06/11

    Caracterização sedimentológica de aluviões com ocupações arqueológicas, Alto Rio Paraná (SP, MS)

    Pesquisas arqueológicas no Alto Rio Paraná foram iniciadas em 1993 com o Projeto Arqueológico Porto Primavera, MS (PAPPMS), que envolveram trabalhos de salvamento do patrimônio arqueológico descoberto durante a construção da Usina Hidrelétrica Engenheiro Sérgio Motta (UHESM) (Contrato n° MMA/CESP-FAPEC/01/97 – CESP/FAPEC, Autorização IPHAN Portarias nº 236 de 24/11/95 D.O.U. 27/11/95, nº 265 de 23/07/96 D.O.U. de 24/07/96 e nº 55 de 29/10/97). O espaço afetado pelo reservatório dessa usina abrange uma área de cerca de 192.000 ha. Nessas pesquisas foram registrados e descritos diversos sítios arqueológicos que se encontram em diques marginais, paleoilhas e terraços cuja composição sedimentológica é, aparentemente, homogênea. Este projeto de pesquisa visa estudar os sedimentos provenientes de sítios arqueológicos da margem do Alto Rio Paraná. Estes sítios em sua maioria atualmente estão inundados pelo reservatório, sendo os únicos testemunhos que restaram desta história geológica e arqueológica, sob pontos de vista sedimentológico e estratigráfico. Os resultados obtidos deverão melhorar o entendimento paleoambiental deposicional da história evolutiva da Bacia Hidrográfica do Rio Paraná.

    Leia mais

  • Caracterização dos registros geológicos na região da Cratera de Colônia, SP: base para um desenvolvimento ambientalmente sustentável

    O principal objetivo da pesquisa é caracterizar os registros geológicos aflorantes na Cratera de Colônia e seu entorno. O tema apresenta grande relevância científica, uma vez que, ainda existem inúmeras questões geológicas em abertas com relação à origem e o processo de formação da cratera. Assim também, a presença de uma possível cratera de impacto (astroblema) na região pressupõe a existência de um cenário geológico único, com ambiente deposicional endorreico. Nesse palco, os sedimentos depositados podem preservar informações valiosas para realizar estudo de comparação sobre a evolução geológica e o paloeambiente da região. Essa abordagem também contempla uma avaliação preliminar dos impactos decorrentes das atividades antrópicas nas regiões acima referida.

    Leia mais